É possível prevenir doenças reumáticas?

É possível prevenir doenças reumáticas?

Revisado por: - Reumatologista - CRM SC 4120 Reumatologia e Medicina Interna RQE Reumatologia 4513 RQE Medicina Interna 6737
Publicado em 27/03/2019Dicas

prevenir-doencas-reumaticas

Devido ao seu caráter debilitante e crônico, muitas pessoas se questionam se é possível prevenir doenças reumáticas. Como existem mais de 100 tipos de doenças reumáticas, não podemos apresentar uma resposta fechada. O que é possível afirmar é que a prevenção é fundamental para controlar o desenvolvimento das doenças reumáticas. Confira o porquê!

A predisposição genética como fator de risco

O que ocorre é que as doenças reumáticas estão relacionadas com um padrão genético herdado, ou seja, a pessoa já nasce com essa predisposição. Por outro lado, mesmo não sendo possível evitar o seu surgimento, o fator genético pode ser o primeiro sinal de alerta para aquelas pessoas que já tiveram familiares diagnosticados com alguma doença reumática.

É válido destacar que grande parte dos distúrbios reumáticos ainda não tiveram a sua causa descoberta, o que dificulta que os profissionais consigam definir alternativas eficazes de prevenção. Mas, com ou sem predisposição genética, a recomendação é manter uma série de hábitos saudáveis e ficar atento aos fatores de risco e seus sintomas, para buscar o diagnóstico precoce.

Conheça, abaixo, os principais fatores de risco e saiba como prevenir doenças reumáticas.

Como prevenir doenças reumáticas

O primeiro modo para prevenir doenças reumáticas é evitando os fatores considerados de risco, que podem causar ou agravar o quadro de dor. Conheça quais são eles:

  • cigarro;
  • traumatismo;
  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • estresse;
  • situações que gerem ansiedade;
  • alterações climáticas bruscas e exposição a temperaturas extremas;
  • falta de vitamina D;
  • alimentação rica em alimentos inflamatórios, como gorduras, açúcar, sal e embutidos.
  • ingestão de bebidas alcóolicas em excesso;
  • contato com substâncias químicas como solventes orgânicos;
  • exposição ambiental a pó de pedra ou de areia;
  • má higiene oral e acúmulo de “tártaro”  dentário;
  • exposição excessiva ao sol.

O segundo modo é conhecido como prevenção secundária, ou seja, quando o paciente apresenta os primeiros sintomas da doença e imediatamente inicia o tratamento para bloquear o seu avanço.

Segundo o Ministério da Saúde, uma das vantagens do reumatismo em relação a doenças ditas silenciosas, como diabetes e hipertensão, é que ele pode ser facilmente diagnosticado pelo próprio paciente.

Para isso, é importante ficar atento a alguns sinais característicos do problema, como:

  • dores ao estender o braço sobre a cabeça;
  • rigidez nas articulações ao acordar;
  • redução na flexibilidade da coluna;
  • fadiga fraqueza muscular;
  • dificuldade para se movimentar.

Caso a enfermidade seja diagnosticada logo no início e o paciente inicie o tratamento adequado, é possível conter o avanço da doença, possibilitar que a pessoa leve uma vida normal e, principalmente, reduzir as chances de gerar incapacidade física.

Para isso, porém, é fundamental procurar a ajuda do reumatologista, profissional especializado na saúde do aparelho locomotor.

Principais medidas preventivas

Agora que você já conhece fatores que favorecem o surgimento das doenças reumática, confira algumas dicas de mudança de hábito para prevenir o seu desenvolvimento:

1) Adote uma dieta equilibrada

Segundo o Instituto Português de Reumatologia, adotar uma dieta equilibrada tem um papel preventivo fundamental. Neste caso, sugere-se:

  • aumentar o consumo de alimentos antioxidantes, como frutas de casca roxa e vegetais;
  • evitar o excesso de calorias e gorduras;
  • consumir uma quantidade moderada de proteínas, e dar preferência ao peixe, fonte de ômega-3 e ômega-6;
  • ingerir alimentos ricos em cálcio, como couve, chia, leite e seus derivados.

2) Pratique exercício físico

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, quem possui doenças reumáticas, como artrite, por exemplo, deve realizar exercícios regulares. Além de melhorar a condição aeróbica, eles aumentam a força muscular, a resistência e a flexibilidade, fatores que facilitam a realização das tarefas do dia a dia.

Os três tipos principais de exercícios que podem ser realizados são:

  • alongamento;
  • condicionamento muscular (musculação);
  • condicionamento aeróbico (ciclismo, caminhadas, natação).

Além dessas dicas, outras medidas preventivas essenciais são:

  • evitar o tabaco e álcool em excesso;
  • utilizar calçados adequados;
  • cuidar da postura física;
  • evitar esforços excessivos;
  • realizar atividades lúdicas e/ou de espiritualidade

Para auxiliar no diagnóstico precoce e evitar as complicações da doença, não ignore a presença da dor. Procure a ajuda de um médico e dê a atenção que o seu corpo merece.
Se você se identificou com algum dos sintomas mencionados no artigo, procure um reumatologista. No nosso site, você encontra os médicos reumatologistas membros da SCR.

Material revisado por:
- Reumatologista - CRM SC 4120 Reumatologia e Medicina Interna RQE Reumatologia 4513 RQE Medicina Interna 6737

Graduação em Medicina pela UFSC - 1985 Residência em Medicina Interna pelo Hospital do Servidor Público Municipal de SP - 1987 Residência em Reumatologia pelo Hospital Heliópolis-INAMPS São Paulo - 1990 Mestre em Medicina Interna pela Universidade Federal do Paraná -1997 Doutora em Ciências Médicas pela Universidade Federal de Santa Catarina -2012 Titulo de Especialista pela SBR- 1995

Cartilhas

As doenças reumáticas têm maior sucesso no tratamento quanto mais cedo forem diagnosticadas. Para isso, é importante estar alerta aos fatores de risco e sintomas das principais doenças.

Ver cartilhas
cartilhas