Mitos e verdades sobre a osteoporose

Mitos e verdades sobre a osteoporose


Publicado em 02/08/2019Desvendando mitos

mitos-e-verdades-sobre-a-osteoporose

osteoporose é uma doença reumática que ocorre devido a uma baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, com aumento da fragilidade óssea e, consequentemente, aumento no risco de fraturas.

 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, cerca de 10 milhões de brasileiros sofrem com a doença. Além disso, a cada ano, 2,4 milhões de fraturas ocorrem decorrentes do enfraquecimento dos ossos.

 

Apesar de, entre todas as doenças reumáticas, a osteoporose ser uma das mais conhecidas, ainda existem algumas crenças controversas a seu respeito. Para esclarecer essas questões, contamos com a participação da Dra. Juliane Pauptz, que elucida os principais mitos e verdades sobre a osteoporose.

O que é mito e verdade sobre a osteoporose

1) Homens podem ter osteoporose

 

Verdade. Apesar da doença ser mais frequente em mulheres, principalmente na terceira idade, ela também pode acometer os homens. Em média, osteoporose afeta um homem a cada quatro mulheres.

A Dra. Juliane explica que “A doença tem prevalência maior nas mulheres, principalmente em torno dos 65 anos, porque a menopausa leva a uma diminuição da produção de estrogênio, acelerando a perda de massa óssea”. O estrogênio também está presente nos homens, porém em menor quantidade, o que explica essa diferença de incidência entre os sexos.

2) A doença atinge apenas pessoas da terceira idade

Mito Apesar de a queda nas taxas de cálcio ser mais expressiva após a menopausa, isso não significa que não seja importante se precaver. Para se ter uma ideia, a osteoporose pode começar a se instalar já na infância e ir, aos poucos, progredindo. Assim, os cuidados devem ser adotados desde cedo!

Algumas condições clínicas e algumas medicações também são fatores de risco para a ocorrência de baixa massa óssea, levando à osteoporose precoce. A Dra. cita as principais: “Doença celíaca, artrite reumatoide, espondilite anquilosante, hiperparatireoidismo,  cirurgia bariátrica, uso prolongado de glicocorticoides, desordens alimentares, como a bulimia e a anorexia, etc.”

3) A doença tem influência genética 

Verdade. A osteoporose é sim influenciada pela genética, ou seja, quem tem predisposição, deverá adotar com maior rigor  as medidas preventivas, a fim de reduzir o impacto da doença, que são as fraturas. A Dra. Juliane cita um estudo publicado na Nature Genetics, em 2012, que identificou 56 genes responsáveis por controlar a densidade óssea nos seres humanos e descobriram, entre eles, 14 variações associadas ao aumento de risco de fraturas.

“Desta forma, o estudo demonstrou que variantes genéticas estão fortemente associadas a um maior risco de fraturas”, conclui a reumatologista. Por isso, se pessoas da sua família sofrem com a osteoporose, ligue o sinal de alerta!

4) A alimentação ajuda na prevenção 

Verdade. A nutrição adequada, principalmente rica em cálcio, ajuda na prevenção e no controle da osteoporose. A Dra. Juliane explica que o cálcio possui as mais variadas funções para o organismo, sendo a principal a formação óssea. Uma dieta com quantidades de cálcio adequadas é fundamental para a manutenção da massa óssea, garantindo a integridade do esqueleto.

O cálcio pode ser obtido através do leite e seus derivados, salmão, sardinha, folhas verdes, nozes e castanhas. Ela ainda ressalta a importância de outras práticas para a prevenção da osteoporose: “Cessar o tabagismo, evitar consumo excessivo de álcool e tomar sol, visto que a vitamina D ativa é essencial para absorção de cálcio.”

5) Pacientes com osteoporose não podem praticar exercícios físicos

Mito. Segundo a especialista, pacientes com osteoporose não só podem, como devem realizar exercícios físicos. Ela afirma que “a atividade física tem sido apontada como fator que contribui para o aumento da massa óssea, reduzindo o risco de fraturas.” Como benefícios, “um programa regular de exercícios incluem o controle da obesidade e a otimização da ingestão de micronutrientes”, esclarece.

A médica acrescenta que o exercício físico deve ser incluído desde a infância, por ser esse o período de formação da massa óssea e, assim, mantê-la saudável por toda a vida.

6) A osteoporose é uma doença silenciosa

Verdade. A doença raramente apresenta algum sintoma antes que aconteça alguma fratura óssea em locais como coluna, fêmur, punho ou braço. Neste caso, ela deixa de ser silenciosa somente quando a doença já está instalada e em estado avançado.

 

Por este motivo, quando o médico indicar, é importante realizar um examechamado de Densitometria Óssea que, ao fazer a medição da densidade óssea, favorece o diagnóstico precoce.

7) A doença não tem cura 

Verdade. A osteoporose é uma doença reumática crônica e, portanto, realmente não pode ser curada. Entretanto, isso não significa que não seja possível conter a sua progressão e evitar as complicações que ela gera.

A Dra. Juliane reforça que é importante procurar a ajuda de um reumatologista para que seja iniciado o tratamento o quanto antes. “O diagnóstico precoce e manejo adequados são fundamentais para evitar a ocorrência de fraturas”, finaliza.

 

Compartilhe esse artigo com amigos e familiares para contribuir com a conscientização e prevenção da osteoporose!

Cartilhas

As doenças reumáticas têm maior sucesso no tratamento quanto mais cedo forem diagnosticadas. Para isso, é importante estar alerta aos fatores de risco e sintomas das principais doenças.

Ver cartilhas
cartilhas