O reumatismo também afeta crianças e adolescentes

O reumatismo também afeta crianças e adolescentes

Revisado por: - CRM-SC 4848 RQE 1071
Publicado em 02/04/2019 - Atualizado 28/05/2019Desvendando mitos

o-reumatismo-tambem-afeta-criancas-e-adolescentes

O reumatismo não é uma doença que atinge, exclusivamente, a população adulta ou idosa. Muita gente não sabe, mas o problema também pode afetar crianças e adolescentes em idade escolar e causar sérias complicações caso não seja tratado adequadamente. Devido a essa falta de conhecimento, o reumatismo na infância pode ser considerado preguiça ou manha da criança, mas é de fundamental importância ficar atento aos primeiros sintomas para realizar o diagnóstico precoce.

Para esclarecer as principais questões acerca do assunto, contamos com a participação da Dra. Nadyesda Diehl Brandão, especialista em Reumatologia Pediátrica. Ela aborda as principais doenças, sintomas e tratamentos para o reumatismo infantil. Acompanhe!

Ouça este conteúdo

 

O reumatismo na infância

O reumatismo na infância ocorre em grande parte devido a doenças autoimunes: “As doenças reumatológicas na infância e adolescência são causadas por alterações no sistema imune, que, ao invés de proteger o corpo contra agentes agressores externos, elabora mecanismos de inflamação contra estruturas do próprio corpo”, explica a Dra Nadyesda.

Apesar de possuir causas distintas, os sintomas do reumatismo na infância são similares aos das doenças reumatológicas em pacientes adultos. Contudo, o impacto na vida de crianças e adolescentes, geralmente, é maior, podendo causar incapacidade física, distúrbios emocionais, dificuldade no aprendizado e exclusão social.

Quais são as principais doenças reumatológicas infantis?

Doenças reumáticas que atingem adultos e idosos já são   mais conhecidas, mas o reumatismo infantil pode provocar doenças pouco conhecidas pela população. Conheça as principais!

Artrite Idiopática Juvenil

A Artrite Idiopática Juvenil é a doença mais prevalente nos ambulatórios de referência em Reumatologia Pediátrica. A Dra. Nadyesda esclarece que: “Ainda assim é relativamente rara, com incidência aproximada a 1 caso para cada 1.000 crianças”.

Trata-se de uma inflamação crônica nas articulações, sendo que os joelhos e tornozelos são as regiões mais afetadas. Além disso, pode acometer órgãos, como a pele, olhos e coração. A doença costuma aparecer antes dos 16 anos de idade.

Febre reumática

Causada pela reação a uma infecção de garganta por uma bactéria conhecida como estreptococo, a febre reumática é uma doença inflamatória que pode comprometer as articulações, coração, cérebro e pele. Geralmente, acomete pacientes entre 5 e 15 anos de idade e se não tratada adequadamente pode deixar sequelas cardíacas graves.

Lúpus Eritematoso Sistêmico Juvenil

Seja em crianças ou adultos, o lúpus é uma doença autoimune. A Dra. Nadyesda esclarece que a medicina ainda não foi capaz de comprovar com assertividade a causa dessas doenças: “O que causa esta alteração no sistema imune ainda não está completamente esclarecido, mas sabe-se que em alguns casos há participação de fatores genéticos, infecciosos ou ambientais”.

O Lúpus Eritematoso Sistêmico Juvenil é caracterizado por uma inflamação que pode atingir todo o corpo e assim como a Artrite Idiopática Juvenil, tem início até os 16 anos de idade.

Quais são os sintomas?

Independente da doença, o reumatismo infantil causa, basicamente, os mesmos sintomas. Dentre eles, podemos destacar:

  • Dores e inchaço nas articulações;
  • Dificuldade para caminhar ou correr;
  • Febres prolongadas sem causa definida.

A Dra. Nadyesda aponta como esses sintomas podem afetar a vida da criança, além de ser um sinal para que os pais fiquem atentos: “A criança pode começar a apresentar dificuldades para realizar suas atividades habituais do dia-a-dia como lavar o cabelo, escrever, brincar, realizar os exercícios das aulas de Educação Física.”, alerta.

Diagnóstico e tratamento

O sucesso do tratamento do reumatismo em crianças e adolescentes depende muito do momento em que é realizado o diagnóstico. Por isso, os pais devem procurar ajuda de um especialista assim que notarem os primeiros sintomas: “A avaliação por um especialista é essencial, uma vez que não são doenças comuns na faixa etária pediátrica, e muitas vezes os sintomas são pouco conhecidos, podendo levar ao atraso do diagnóstico”, ressalta a Dra. Nadyesda.

Ela alerta que o diagnóstico tardio pode afetar gravemente a vida de crianças e adolescentes: “A inflamação não controlada nas articulações pode levar a discrepâncias entre o tamanho dos membros, limitação progressiva dos movimentos e absenteísmo escolar devido às dores”.

O tratamento é feito com medicação anti-inflamatória, medicamentos modificadores da atividade da doença e fisioterapia. Mas é importante que os pais tenham conhecimento de que, apesar de existirem tratamentos cada vez mais eficazes, algumas doenças ainda são incuráveis.

A Dra. Nadyesda explica melhor: “Quando o filho é diagnosticado com uma doença reumatológica, os pais devem ser orientados para o caráter de cronicidade dessas doenças, ou seja, ainda não podemos falar em cura, mas sim em remissão dos sintomas após um período de tratamento”, finaliza.

Compartilhe esse artigo com seus amigos e familiares. Contribua com a conscientização sobre a prevenção do reumatismo na infância e adolescência.

Aproveite para conhecer os médicos reumatologistas membros da Sociedade Catarinense de Reumatologia.

Material revisado por:
- CRM-SC 4848 RQE 1071

Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas – UFPEL - 1984 Especialista em Medicina Interna e Reumatologia pelo Hospital de Clinicas de Porto Alegre/RS -1985-1989 Especialista em Terapia Intensiva pela AMB e AMIB - 1994 Subespecialidade: Habilitação em Densiometria Óssea pela SBDENS/CBR - 1998 Título de especialista em Reumatologia AMB/SBR - 1988

Cartilhas

As doenças reumáticas têm maior sucesso no tratamento quanto mais cedo forem diagnosticadas. Para isso, é importante estar alerta aos fatores de risco e sintomas das principais doenças.

Ver cartilhas
cartilhas